quarta-feira, 31 de agosto de 2016

E hoje?

Bem, venho aqui depois de algum tempo dar meu depoimento a vocês queridos leitores do meu blog de como está minha saúde no momento, as consequências e sequelas, depois dos problemas de coluna e da cirurgia que fiz na Coluna Cervical em 2007.
Já se passando quase 10 anos (como passa... mas com minha situação, nem tão rápido assim né?, pra mim demorou décadas mesmo...), mas são muitas situações por que passei, primeiro as dores para descobrir então que os problemas eram na coluna, tinha vértebras anquilosadas (coladas) na cervical,  depois a cirurgia na coluna cervical para descompressão da medula, consequentemente os meses de recuperação, que foram horríveis, usar o colete cervical 24 horas durante meses não foi nada fácil.
Nos anos seguintes muito sofrimento passando pelas perícias intermináveis e desumanas no INSS, que duraram de 2006 a 2012..., como consequência a depressão, claro, da qual faço tratamento até hoje!
O INSS me concedeu a aposentadoria por invalidez no final de 2012, assim começou uma nova fase onde eu pude cuidar com mais carinho da minha saúde.
As dores nunca pararam, também, com vértebras coladas e cirurgia na coluna cervical, o que sobrecarrega as vértebras que sobraram, diminuição dos espaços das demais vértebras, hérnia de disco na coluna lombar, mais escoliose, ficar sem dor seria pedir muito.
E como consequência ainda dos problemas cervicais tenho labirintite crônica e cefaléia também crônica... ai que sofrimento, e com isso tudo, claro a depressão, que tenho tratado há mais de 5 anos.
Primeiro tomava um comprimido de tramadol(derivado de morfina) quando tinha muuuita dor, depois passei a tomar diariamente pois já acordava todo dia com dor, e hoje tomo 3 vezes ao dia para aguentar tentar ter uma vida quase normal, e suplementando com doses de dipirona durante o dia e antes de dormir... e assim sigo a vida, acordando e indo dormir com dor, tanto na lombar quanto na cervical.
Meu médico indica que faça outra cirurgia na cervical para fixar a vértebra da nuca que está mais sobrecarregada para diminuir as dores, mas cadê a coragem?
E as demais consequências inerentes a tudo... como manter o peso que preciso muito pra não sobrecarregar a coluna se tenho restrição a muitos exercícios, não posso ter impacto ou força de forma alguma??? é uma luta diária!
E a discriminação das pessoas que me veêm e não sentem a dor que sinto diariamente e que não entendem minhas limitações? E ainda a discriminação que sofre quem tem uma deficiência não visível, e olha que isso acontece até com pessoas mais próximas como a família... é muito duro.
Assim vou vivendo, mas aprendi com tudo isso uma lição muito boa e que tem me ajudado muito... VIVER CADA DIA, e um de cada vez somente... ver o que dá pra fazer no momento, tentar cada dia manter a auto estima elevada e... amanhã é outro dia!


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails