terça-feira, 26 de julho de 2011

Espondilite Anquilosante

ea


Sabe-se que a Espondilite Anquilosante, ou EA (como também é conhecida), tem uma forte ligação genética. Mais comum nas pessoas que herdam as células brancas do sangue grupo HLA B27, mas nada disso é obrigatório para quem tem a doença, o que os pesquisadores acreditam é que o sistema de defesa natural do organismo, o sistema imunológico pode ter uma defeito que cause a EA.

É uma doença reumática inflamatória crônica, que afeta principalmente a coluna, quadris, ombros e joelho. E em fase mais crítica chega a afetar os olhos(uveíte), coração, pulmão(fibrose), intestino(colite ulcerativa) e pele(psoríase).

Os sintomas podem começar com dores lombares e rigidez matinal que melhora com o movimento e piora com o repouso, chegando até mesmo à anquilose (fusão das vértebras).

Não há cura e o tratamento deve durar para sempre, sendo a causa ainda desconhecida. Esse tratamento alivia os sintomas e melhora a flexibilidade da coluna vertebral.  O tratamento engloba fisioterapia, exercícios, correção postural e medicamentos como analgésicos, antiinflamatórios, relaxante muscular e outros modificadores da evolução da doença como os biológicos. Isso tudo adaptável, de acordo com cada paciente e em cada fase, de crise ou fora dela, e com o objetivo de fortalecer a musculatura e melhorar a mobilidade das juntas.

Para alívio das dores o paciente também se utiliza de todos os métodos possíveis como bolsa de água quente, banhos quentes, evitando peso e em fases muito agudas o repouso também é recomendado. E claro, deve cuidar do peso e da saúde em geral, pois essa doença pode debilitar o paciente se não for controlada.

A cirurgia pode ser necessária em alguns casos como para a substituição de alguma articulação mais afetada ou outra consequência como deformidades.



Fontes: ANEASYRIANCLINIC, Drauzio Varella, EMEDIX, Rodinei-Guimarães




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails