segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Microcirurgia para hérnia-de-disco

cirurgia hernia jato agua
clique na imagem para aumentar

Quando nem fisioterapia, nem acupuntura, nem medicamentos conseguem acabar com o sofrimento que causa a dor de uma hérnia de disco, a solução pode ser a cirurgia, mas existem para esse casos, uma microcirurgia que pode resolver o problema.

Hoje existe uma técnica mais nova que utiliza jato de água com o auxílio de uma agulha, sem necessidade de corte, e que promete assim diminuir a pressão nos nervos.

Aqui vocês podem ver uma reportagem da Folha.com com os detalhes dessa técnica:
Nova Microcirurgia à Base de jato de Água Trata Hérnia de Disco



quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Conhecendo o Corpo Humano

google body

Aqui os links, com a novidade do Google Body, e de outro local, o Visible Body, onde podemos
conhecer melhor nosso corpo, com ótimas ilustrações, imagens 3D, e animações como essa de uma intervenção na coluna vertebral, muito interessante: Disc Replacemente (substituição do disco inter-vertebral).

É isso aí, a tecnologia a favor da saúde e do conhecimento!



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Bursite x Tendinite

Sempre há essa confusão entre BURSITE e TENDINITE, então fomos ler e aprender mais sobre o assunto pra passar aqui.

bursite
BURSITEInflamação da bursa, uma bolsa cheia de líquido, que fica entre o tendão e o osso. Essa bolsa ajuda a diminuir os atritos entre essas partes. Pode ser aguda ou tornar-se crônica.
Onde ocorre: mais frequentemente no ombro, cotovelo e joelho.
Causas: esforços repetitivos.
Sintomas: dor nas articulações, inchaço e calor nas juntas.
Tratamento: repouso, imobilização temporária, anti-inflamatórios e antibióticos, fisioterapia, injeção de corticosteróides, drenagem cirúrgica.
Prevenção: evitar esforços repetitivos.



tendinite
TENDINITE: É a inflamação do tendão,  
uma corda fibrosa que une o músculo ao osso.
Onde ocorre: ocorre mais no ombro, cotovelo, punho e tendão de aquiles.
Causas: é resultante de uma lesão, uso excessivo, envelhecimento, ou pessoas com outras doenças como Artrite Reumatóide.
Sintomas: dor que piora com movimento, vermelhidão.
Tratamento: repouso, imobilização temporária, anti-inflamatórios, aplicação quente ou frio, fisioterapia para fortalecer o tendão, raramente cirurgia para remover o tecido inflamado.
Prevenção: evitar movimentos repetitivos de braços e pernas, manter os músculos fortes e flexíveis e aquecer e alongar antes de qualquer atividade física.

Os 2 casos são conhecidos como REUMATISMO DE PARTES MOLES, tem causas e sintomas semelhantes, mas são doenças distintas. Também há a confusão pela proximidade entre a bursa e o tendão, e o diagnóstico correto pode ser obtido pelo ultra-som ou pela ressonância nuclear magnética.

A BURSITE pode ser confundida com artrite ou outra doença/causa, foi o que ocorreu no meu caso, antes de saber dos problemas na minha coluna vertebral, sentia muita dor no ombro, fui a diversos médicos ortopedistas, e fiz fisioterapia para bursite durante meses, e só depois de observar que não estava melhorando nada, que insisti mais com outros médicos e pediram exames de rx da coluna, só assim fui diagnosticada corretamente, mas infelizmente já era tarde pra escapar da cirurgia de artrodese que realizei na coluna cervical.

Fonte: MedlinePlus

Aqui um vídeo explicativo sobre essa diferença, veiculado em um programa local de Uberlândia:




Technorati Marcas: ,

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Trabalhos Domésticos x Coluna

trabalhos domésticos
O “Jornal Hoje” da Rede Globo, exibiu essa matéria há algum tempo atrás ensinando como fazer as atividades domésticas prevenindo as dores na coluna: Mantenha a casa limpa sem sobrecarregar a sua coluna

E pelo vídeo podemos ver que é mais fácil fazermos as coisas erradas do que certas, né?

Mas … vivendo é que se aprende, não é mesmo? e isso me ensinou muito também.

Não deixem de ver o vídeo até o final, tem dicas muito boas!



quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Antroposofia

chá

O nome vem de ANTROPOS (homem) e SOFIA (estudo), é a medicina criada por um médico austríaco (Rudolf Steiner-1861-1925), que envolve aspectos do saber, como da medicina à agricultura, da educação à espiritualidade.

É relativamente “nova”, e tem a peculiaridade da escuta, onde o diagnóstico inclui o estudo biográfico da vida do paciente.


Quando um médico alopata pergunta a idade, é para fazer um paralelo com as doenças mais comuns dessa faixa etária. Para o médico antroposífico, ele vai levar em consideração ainda o momento existencial, as crises dessa fase, como elas influenciam diretamente no nosso jeito de pensar, sentir e agir.

E como são feitos os tratamentos? Vão desde a indicação de um filme que faça pensar sobre o que vale a pena na vida, passando por medicamentos naturais, como chás, preparações semelhantes à homeopatia, terapias artísticas e corporais, e banhos.

Bem sabemos que há uma tendência para nos voltarmos à natureza, e com a globalização e internet todas as terapias naturais estão mais acessíveis e assim como a antroposofia, há muitas outras pouco divulgadas, acho que vale a pena conhecer tudo e tentar se adaptar à melhor forma de cuidar da saúde, sobre essa ainda não tive nenhum contato, quem sabe uma hora dessas…


 Fonte: Revista Bons Fluídos


 Quer saber um pouco mais?





segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Consequências Analgésicos

pills

Uma coisa que vem nos preocupando muito são as consequências que podem trazer à saúde, o uso prolongado de analgésicos, o que se tornou indispensável na dor crônica, isso sem falar no uso concomitante de outros medicamentos.

Quando lemos em um artigo que o uso de mais de 2 vezes por semana já seria um alerta, ficamos assustados, pois para as dores na coluna, eles são usados diariamente há anos.

Aqui no Brasil, os analgésicos com maior número de consumidores, e de fácil acesso são:

Paracetamol = sobrecarrega o fígado, podendo causar até mesmo a hepatite, indicado em pesquisas médicas como o que causa maiores consequências e por isso controlado em vários países;

Dipirona = abaixa a quantidade de células brancas no sangue (que servem de proteção ao organismo contra infecções) e causa queda de pressão, e também afeta processos de coagulações, por isso banida de alguns países mas a mais consumida no Brasil;

Ácido Acetilsalicílico = pode causar sangramento intestinal e em pessoas com problemas de coagulação, aumenta o sangramento.

Tanto paracetamol quanto dipirona, ainda usamos muito, mas o médico solicitou recentemente  a troca do ultracet (tramadol + paracetamol) que foi usado durante anos, pelo tramadol puro nas dores fortes, assim ficamos um pouquinho mais aliviados.

Aliviados quanto ao paracetamol, mas e quanto aos OPIÓIDES ? como é o caso do tramadol? eu mesma preciso tomar diariamente há anos, pois os analgésicos comuns como os citados acima tem pouco efeito sobre minhas dores crônicas na coluna. Como já suspeitava teremos problemas também... vejam essa matéria que saiu no portal isaúde.net: Uso de opióides aumenta risco de eventos...

Veja também outros post que fizemos sobre medicamentos:
Genéricos
Dá pra viver sem dor e sem remédio?
Remédios: Um vício ???
Preços de medicamentos



quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Os mecanismos da dor crônica

DOR CRONICA 2
Já fiz outro post falando sobre a dor crônica e seus tratamentos, agora vamos falar um pouco dos mecanismos dessa dor.

O portal delas.ig.com.br , publicou uma reportagem nos contando esses detalhes, e ainda, que ela poderia ser evitada em 90% dos casos.

A reportagem explica que: “a dor crônica costuma se estabelecer a partir de uma espécie de “cicatriz” na percepção da dor pelo cérebro. “A via nervosa sofre uma sensibilização”, explica. Para uma pessoa sentir dor, seja aguda ou crônica, seu sistema nervoso central precisa registrar estímulos acentuados no organismo e enviar esses sinais ao cérebro.
Se o estímulo for constante, o sistema nervoso acaba sendo danificado de maneira permanente. Ele passa a ser mais sensível e interpreta como dor os estímulos que normalmente seriam detectados de outra forma.”

E ainda mais, que essa dor pode se manifestar de várias formas como formigamento e pontadas, e que atinge mais as mulheres.

Na tentativa de resolver essa questão foi lançada uma campanha pela SBED (SOCIEDADE BRASILEIRA DE ESTUDOS DA DOR).



Technorati Marcas: ,

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Como o osso se regenera ?

regenerando o osso
Clique na imagem para aumentar.

Quando um osso se quebra, os vasos sanguíneos em seu interior se rompem, causando sangramento e a formação de um coágulo. O local inflama, mas, em 24 horas, as extremidades dos vasos rompidos são vedadas, estancando quase por completo a hemorragia. A região da fratura fica cheia de pedacinhos do osso quebrado e tecidos mortos, que são removidos pela ação de células chamadas osteoclastos. Elas fagocitam ("comem" e "digerem") esses fragmentos.

O processo pode durar semanas, dependendo do tamanho da lesão. Desde as primeiras horas após a contusão, também entram em ação os angioblastos, células responsáveis pela formação dos vasos sanguíneos. Elas darão origem a novos vasos dentro do osso e irão reparar outros que se romperam com a fratura. Ao mesmo tempo, a medula óssea começa a se regenerar.

Composta basicamente de sangue e gordura, ela fica dentro do canal medular do osso, que vai sendo preenchido por novas células. A reconstituição óssea em si se dá a partir de duas membranas bastante vascularizadas: o periósteo e o endósteo. Enquanto o periósteo envolve por completo os ossos, o endósteo é uma camada mais fina que os reveste internamente. Tanto o periósteo quanto o endósteo têm capacidade de produzir as células chamadas osteoblastos, que darão origem ao tecido ósseo.

Um ou dois dias após a fratura, os osteoblastos já começam a invadir o interior e a superfície do coágulo. A deposição de osteoblastos no local da fratura leva à formação do calo ósseo, que surge tanto externamente quanto internamente. Enquanto isso, o coágulo vai diminuindo, pois as células que o formam continuam sendo "devoradas" pelos osteoclastos.

Em até duas semanas, o calo, formado também por tecido fibroso e cartilaginoso, consegue unir as extremidades da fratura com a parte intacta do osso. Em seis semanas, a fissura desaparece. A fase seguinte, que pode durar meses, é a da consolidação, quando ocorre a calcificação do osso. O cálcio, que confere resistência aos ossos e chega ao local pela corrente sanguínea, ajuda a reparar de vez o estrago.

A etapa final e mais longa da regeneração óssea - pode levar até dez anos - é a remodelagem. Os osteoclastos atacam de novo, "lixando" a superfície do osso para reduzir o calo.

Ao final, a área da fratura, que até então permanecia mais suscetível a quebras, volta a ter a resistência de antes.

O osso é um dos poucos órgãos capazes de se regenerar por conta própria. Mas, claro, ele não faz mágica. É por isso que, na maioria das vezes, é preciso uma ajudinha médica para que eles colem na posição correta. É quando entram em ação o bom e velho gesso e, em casos mais graves, os pinos de metal.


CURIOSIDADE:
Muita gente que já sofreu alguma fratura reclama de dores no local quando o tempo esfria. Isso ocorre porque, em geral, a elasticidade da área que quebrou e do resto do osso fica diferente. Nas mudanças de temperatura acaba rolando um estresse nessa região, o que causa a dor.

Fonte: mundoestranho.abril



Technorati Marcas: ,

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails